Grace and Frankie – Quem disse que mulher (na terceira idade) não manja?

 

Um jantar entre dois casais de amigos. Dois maridos que são sócios, duas esposas que mal se falam. O motivo do encontro: uma novidade. Essa é a primeira cena de Grace and Frankie (2015 -). A notícia inesperada: Robert (Martin Sheen) e Sol (Sam Waterston), os maridos de Grace (Jane Fonda) e Frankie (Lily Tomlin) respectivamente, querem divorciar-se. E não bastasse a surpresa, a razão do pedido de divórcio: Robert e Sol são gays e mantêm uma relação homoafetiva extraconjugal há vinte anos. Esse é o mote da série de comédia que estreou em maio de 2015 pela Netflix e teve sua 6ª temporada lançada recentemente, em janeiro de 2020.

A dificuldade de lidar com essa notícia e a reestruturação das vidas de todos os envolvidos nessa mudança, é desenvolvida na 1ª temporada da série. É também quando as diferenças entre as protagonistas Grace e Frankie ficam evidentes. Grace é uma empreendedora do ramo de cosméticos, totalmente preocupada com a aparência, especialmente em parecer mais jovem, visto que ambas são mulheres na terceira idade. Já Frankie tem uma personalidade mais hippie, é adepta do conforto (roupas largas e calçados sem salto), é vegana, feminista e artista.

Ambas se percebem sozinhas pela primeira vez após muitos anos de relacionamento e encontram semelhanças na experiência que estão vivendo. Então se aproximam (forçadas a princípio) e iniciam uma grande amizade. Superado (ou quase) o divórcio, Robert e Sol se casam. As duas famílias acabam ficando mais próximas, inclusive os filhos Bud (Baron Vaughn) e Coyote (Ethan Embry) de Frankie e Sol e Brianna (June Diane Raphael) e Mallory (Brooklyn Decker) de Robert e Grace. Ambos também com personalidades totalmente diferentes. As características de cada um dos personagens contribui muito para o humor da série. E existe coerência dessas personalidades ao longo de todas as temporadas.

A cereja do bolo está nos diálogos inteligentes, com piadas rápidas, muita ironia e sagacidade. Requer atenção o tempo todo e rende boas gargalhadas. Além disso, vale ressaltar que a série tem um texto muito atual, rico de temas pertinentes (inclusive considerados tabus) e em especial a perspectiva da terceira idade sobre o seu lugar no mundo: as dificuldades de mobilidade, do sexo, as doenças, o tratamento recebido por diferentes prestadores de serviço. Frankie também sempre pontua questões defendidas pelo feminismo: autonomia da mulher, pressão social (as diversas), etc. Outros temas presentes: relações sem rótulo, homoafetividade, casamento, alcoolismo, relação entre irmãos, empreendedorismo.

Ao longo das seis temporadas a amizade entre Grace e Frankie, apesar das rupturas, vai se fortalecendo e vemos duas mulheres mostrando seu potencial inventivo (elas criam e vendem produtos para pessoas com as mesmas dificuldades que elas, na terceira idade). É muito improvável não se apaixonar por essas duas! Os episódios são curtos, divertidos do início ao fim e só basta começar, para maratonar rapidinho todas as temporadas disponíveis na Netflix. E a boa notícia é que, ao que tudo indica, uma 7ª temporada vem em 2021!

Sobre o autor

Lilian Oliveira
Cineasta de formação, Lilian é uma aquariana desenrolada que ama escrever, cozinhar, assistir um bom drama e estar rodeada de amigos, de cultura de modo geral. Sonha com um mundo mais justo para todos.