A série de “Senhor dos Anéis” e o descaso trabalhista

No último dia 28 de junho, a atriz dublê Dayna Grant (Mad Max: Estrada da Fúria e Mulher-Maravilha) sofreu uma aneurisma e lesão no pescoço/coluna no set de filmagens da série de O Senhor dos Anéis. A dublê que substitui Charlize Theron nas cenas mais robustas precisará passar por uma cirurgia de urgência. Até o momento desse texto não tivemos maiores informações sobre seu estado de saúde. Deixo aqui meus votos de melhoras.

Assim como deixo também meus votos de mudança de postura da Amazon Prime Video diante do ocorrido. Isso porque Dayna Grant – através de amigos e fãs sensibilizados – iniciaram um financiamento coletivo para custear a cirurgia estimada em 60 mil dólares. Isso mesmo: A Amazon Prime Video, até o momento, não custeou sequer a cirurgia de sua funcionária que sofreu um acidente de trabalho.

Mas antes de falarmos do tamanho quantitativo dessa irresponsabilidade, vamos entender como funcionam as leis na Nova Zelândia (lugar das gravações da série) no que diz respeito a acidentes trabalhistas.

O sistema público de saúde atende quase na totalidade gratuita o cidadão neozelandês, residentes permanentes e pessoas com visto superior a dois anos de permanência e menores sob custódia dos habilitados. Os demais, como turistas, estudantes e profissionais com visto inferior a dois anos podem ter acesso ao sistema privado de saúde. Em ambos os casos – principalmente os que dependem do sistema privado – é obrigatório adquirir um Accident Compensation Corporation (ACC), uma espécie de seguro de acidente que te ajuda a pagar a assistência. Mas, mesmo assim, você terá que custear parte disso (algo como a franquia nos seguros brasileiros de veículos). Eles têm ótimos equipamentos, instalações e profissionais. Mas ainda assim, viva o SUS!.

Outro ponto é observarmos o réu desse texto: A estadunidense Amazon Prime Video entra para somar nas estatísticas do terceiro país que mais acumula casos de acidentes de trabalho. Segundo o Departamento do Trabalho Norte-Americano através do Bureau of Labor Statistics (BLS) de 2017 a 2019 foram mais de 15.700 acidentes em preocupante crescimento anual. A lei americana prevê indenização em amplos casos.

Dayne Grant é cidadã neozelandesa e é contratada da empresa americana. Porém, nem todos os custos médicos são bancados pelo governo, gerando uma conta de 60 mil dólares a pagar. E sem precisar fazer qualquer comparativo de direitos trabalhistas brasileiras, estadunidenses e neozelandeses, está mais que clara a responsabilidade da Amazon Prime Video na situação onde sua funcionária sofre um aneurisma e lesão no momento do exercício de seus ofícios.

Para justificar mais ainda o tamanho do descaso de deixar Dayne Grant à mercê de uma vaquinha online por nobres amigos, a Amazon Prime Video em 2019 obteve através dos seus 150 milhões de assinantes um lucro de 3.8 BILHÕES. Em 2020 adquiriu mais 50 milhões de novos assinantes, totalizando um lucro de no mínimo 5 BILHÕES. O orçamento para a primeira temporada da série de O Senhor dos Anéis custou inicialmente um valor de 465 MILHÕES. E desse valor, ze dólares para a cirurgia da atriz dublê até então.

Esses são somente os números do braço Amazon Prime Video responsável pela série adaptada dos livros de J.R.R. Tolkien. Se formos levar em conta a receita de US$ 386 BILHÕES em 2020 de sua matriz Amazon.Com, Inc, o peso do capitalismo selvagem é agravado também na casa dos bilhões.

Tem um ditado brasileiro urbano que diz “A gente morre e a empresa fica”. Outro diz “A gente morre hoje e amanhã já tem alguém no seu lugar”.

Até quando seremos dublês da nossa própria vida?